Saiu recentemente a lista anual dos 50 melhores restaurantees do mundo, e neste ano os países latino-americanos estão em destaque. Entre os dez primeiros colocados, Lima, no Peru, aparece em duas posições. O restaurante Central, de  Virgílio Martinez e Pia León ficou em quinto lugar, e o Maido, de Mitsuharu ‘Micha’ Tsumura, com foco na gastronomia japonesa, ganhou o oitavo.

 

Nova Iorque conquistou a primeira posição com o restaurante Eleven Madison Park, assinado por Daniel Humm e Dmitri Magi, com culinária especializada na ‘cidade que nunca dorme’, porém, com leve toque europeu. Entre os pratos mais pedidos está o pato assado com molho de mel e lavanda.

Em segundo lugar, a Osteria Francescana, do chef Massimo Bottura, na Itália, conquistou o mundo com seu menu italiano contemporâneo que faz diversas leituras de ingredientes da região Emilia-Romagna, como o queijo Parmigiano-Reggiano, que é servido em muitas texturas.

El Celler de Can Roca, na Espanha, que já foi eleito duas vezes o melhor do mundo, aparece em terceiro lugar, com sua gastronomia internacional. As sobremesas são um detalhe à parte, repletas de sofisticação na apresentação dos pratos.

O Brasil aparece em 16º lugar com o já consagrado D.O.M, de Alex Atala, explorando a culinária do País com ingredientes provenientes da Amazônia, entre outras regiões. Apesar de bem colocado, o restaurante caiu cinco posições em relação a 2016.

O prêmio da revista britânica Restaurant é uma compilação de votos eletrônicos de jurados de todo o mundo, chefs, restaurateurs, críticos e “foodies”. O “Oscar da gastronomia” dá visibilidade às casas e atrai reservas de clientes. No entanto, é visto com ressalvas por pessoas do ramo, que questionam a influência de apoiadores nos resultados, por exemplo. Em 2015, o 50 Best foi alvo de um abaixo-assinado que pedia que patrocinadores retirassem o apoio ao prêmio, chamado de parcial e machista,

Outras categorias foram anunciadas nesta quarta-feira, como a de restaurante promissor, Disfrutar (Barcelona), o melhor chef pâtissier, o francês Dominique Ansel (NY), de sustentabilidade, ao Septime (Paris), e a escolha dos chefes, prêmio concedido ao peruano Virgilio Martinez (Central).

Também foi entregue o prêmio, à melhor chef mulher: Ana Ro, da Eslovênia.

Parte da lista já havia sido revelada, em 28/3, pela internet. No trecho entre o 51° e 100 colocados, três brasileiros aparecem: o Olympe (RJ), em 100° lugar, novidade na lista, o Lasai (RJ), em 76°, e o Maní (SP), em 81°.

 

Confira a lista completa dos 50 melhores restaurantes em 2017 no link

dom_carneiro_fpa-cc3b3pia eleven-madison-park-29 Osteria-Francescana_Worlds-50-Best-Restaurants-2016-1200x675 restaurante-celler-de-can-roca